Menos de dois meses após o nascimento do terceiro filho ao qual deu à luz no dia 29 de agosto, a deputada estadual e vice-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Janaina Riva (MDB), encerra sua licença maternidade e retorna aos trabalhos na próxima segunda-feira (26.10).

Segundo a parlamentar, que está em fase amamentação do pequeno Diógenes, o retorno será possível por conta das sessões remotas.  “Vocês não sabem o prazer que é estar de volta (risos). Sou uma pessoa extremamente ativa e confesso que tenho sentido falta do parlamento, das sessões. Neste sentido, a sessão remota facilitará o meu retorno e o trabalho via home office, assim não terei que parar de amamentar para voltar ao trabalhar. Quero deixar claro que a licença maternidade é um direito de todas nós e não deve jamais ser interrompido por pressão do empregador ou medo de sair do mercado de trabalho”, reforça.

A deputada, que enviou esta semana ao presidente Eduardo Botelho o ofício comunicando seu retorno aos trabalhos, explica que ao longo desses dois meses foi impossível parar de trabalhar totalmente e não participar das articulações políticas em torno das eleições municipais e ao Senado.

“Na maioria das vezes esses atendimentos aos prefeitos, vereadores e lideranças partidárias foi feito via telefone ou whattsapp, mas não deixei de atendê-los entre uma mamada e outra, um choro ou outro, uma cólica e outra. Vida de mãe e política é assim mesmo, não consigo parar”, comenta com bom-humor.

Dentre as pautas polêmicas que ele deve encontrar estão o PLC-36 que trata da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores aposentados e a discussão da Lei Orçamentária Anual (LOA/2021).

 Sou uma pessoa extremamente ativa e confesso que tenho sentido falta do parlamento, das sessões. Neste sentido, a sessão remota facilitará o meu retorno e o trabalho via home office, assim não terei que parar de amamentar para voltar ao trabalhar. Quero deixar claro que a licença maternidade é um direito de todas nós e não deve jamais ser interrompido por pressão do empregador ou medo de sair do mercado de trabalho”, reforça.

A deputada, que enviou esta semana ao presidente Eduardo Botelho o ofício comunicando seu retorno aos trabalhos, explica que ao longo desses dois meses foi impossível parar de trabalhar totalmente e não participar das articulações políticas em torno das eleições municipais e ao Senado.

“Na maioria das vezes esses atendimentos aos prefeitos, vereadores e lideranças partidárias foi feito via telefone ou whattsapp, mas não deixei de atendê-los entre uma mamada e outra, um choro ou outro, uma cólica e outra. Vida de mãe e política é assim mesmo, não consigo parar”, comenta com bom-humor.

Dentre as pautas polêmicas que ele deve encontrar estão o PLC-36 que trata da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores aposentados e a discussão da Lei Orçamentária Anual (LOA/2021).

Assessoria

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here