O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), anunciou para a próxima quarta-feira (15), a entrega de mais 20 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para os pacientes infectados com a Covid-19. A instalação será feita no antigo Pronto-Socorro, atual Hospital Referência da Covid-19.

Segundo o prefeito, em entrevista à CNN Brasil, nesta sexta-feira (10), essa é uma das medidas que serão tomadas para cuidar de pacientes com a Covid. Além disso, distribuição de remédios no famoso “Kit-Covid” e continuação da barreira sanitária, são opções que chegam para tentar frear a disseminação do vírus e a perda de vidas.

“Nenhuma medida é descartada com objetivo de salvar vidas. Trabalhamos com dados técnicos e científicos. Semana que vem, já na quarta-feira, vamos entregar mais 20 leitos de UTIs, vamos continuar com a barreira sanitária e a entrega do Kit Covid-19. Essas são respostas imediatas”, disse o prefeito.

Atualmente Cuiabá tem 288 mortes de residentes e outras 138 mortes que aconteceram em hospitais da capital, mas não são de pessoas que moravam aqui. Até esta sexta-feira, Cuiabá ainda tinha 534 internados e 1.207 casos recuperados.

A questão do aumento de casos e mortes em Cuiabá, segundo o prefeito, se deve ao aumento de atendimento de pessoas que são do interior do estado. Segundo Pinheiro, os casos estão interiorizado porque o governo do estado não preparou as cidades para atender o novo coronavírus.

“O fato é a interiorização do vírus. Não se preparou leitos Covid-19 no interior e a população vem se tratar na capital. Isso já era uma situação previamente anunciada. 71% dos casos total de Mato Grosso estão no interior do estado. Hoje, cuiabá tem 24% de casos confirmados. O interior é responsável por 60% da ocupação”, destacou Emanuel.

Por conta dessa situação que ele se mostrou contra qualquer tipo de pena apenas para Cuiabá e Várzea Grande, como tem feito o Poder Judiciário. Segundo Emanuel, quem deve ser punido está com todo o comércio aberto.

“Precisamos não demonizar Cuiabá. Decisões judiciais que fecham Cuiabá e deixam o interior aberto são injustas. São visões diferentes. Eu mostro isso com dados oficiais do Ministério da Saúde. Cuiabá tem hoje mais de 60% dos casos sendo de pacientes do interior”, concluiu o prefeito.

Vale ressaltar que as duas maiores cidades do estado estão sobre quarentena geral, com apenas o comércio essencial aberto. Essa decisão segue por mais uma semana, podendo se estender por mais 7 dias.

Fonte: olhardireto.com.br

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here