Além do mensageiro, Google, Facebook e Twitter vão participar do Programa de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal Superior Eleitoral

WhatsAppGoogleFacebook e Twitter apoiam a luta contra as fake news nas Eleições Municipais de 2020. As empresas de tecnologia participarão do Programa de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A Presidência do Tribunal desenvolveu o projeto com o objetivo de combater a desinformação e todo o seu desdobramento negativo no processo eleitoral brasileiro, principalmente nas Eleições Municipais de 2020.

Recentemente, um executivo do mensageiro citou, em palestra, o envio ilegal de mensagens em massa nas Eleições de 2018. Foi a primeira vez que o app admitiu ter sido usado para a prática. A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e a Associação Brasileira de Internet (Abranet) também fazem parte da lista de entidades que apoiam o projeto do TSE.

Na próxima terça-feira (22), às 18h15, ocorrerá a assinatura do termo de adesão no Gabinete da Presidência do Tribunal, em Brasília. A iniciativa atualmente tem a parceria de 36 instituições, como partidos políticos e entidades públicas e privadas.

Com a entrada das plataformas digitais, o total passa a ser de 40. Elas contribuirão no desenvolvimento e aplicação de procedimentos em conjunto para reduzir os efeitos negativos da disseminação de informações falsas sobre a Justiça Eleitoral e as eleições, como o sistema eletrônico de votação.

Entenda o programa de combate às fake news

A Presidência do TSE criou o programa no dia 30 de agosto de 2019 com o objetivo de combater a desinformação e seus impactos negativos no processo eleitoral brasileiro, inclusive nas Eleições Municipais de 2020.

Até o momento, o projeto tem o apoio de 36 instituições — como segmentos da imprensa, das telecomunicações, da tecnologia da informação, de provedores de Internet, de agências de checagem e de partidos políticos, entre outros. Com a participação do WhatsAppGoogleFacebook e Twitter, o programa contará com 40 entidades.

O Programa de Enfrentamento à Desinformação do TSE aborda diversos assuntos. São eles: “Alfabetização Midiática e Informacional”, para ensinar as pessoas a identificar e checar fake news; “Contenção à Desinformação”, com medidas voltadas para as instituições desmotivarem a propagação de conteúdos falsos; e “Identificação e Checagem de Desinformação”, com o objetivo de aperfeiçoar métodos para identificar práticas de divulgação de informações falsas.

Para Ricardo Fioreze, juiz auxiliar da Presidência do TSE e coordenador do grupo gestor do programa, o envolvimento das empresas no projeto ajuda na luta “contra um fenômeno que vem sendo potencializado pelo uso da Internet, já que os aplicativos mais utilizados para o tráfego de informações também são usados para disseminar a desinformação”.

Lista das instituições que já fazem parte do projeto

  1. Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert)
  2. Associação Brasileira de Imprensa (ABI)
  3. Associação Brasileira de Internet (Abranet)
  4. Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel)
  5. Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint)
  6. Associação Nacional dos Jornais (ANJ)
  7. Agência Aos Fatos
  8. Associação Acredito
  9. Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom)
  10. Associação InternetLab de Pesquisa em Direito e Tecnologia
  11. Boatos.org
  12. Conselho Gestor da Internet (CGI.br)
  13. Instituto Palavra Aberta
  14. Instituto Update
  15. Ministério da Justiça e Segurança Pública
  16. Ministério Público Federal
  17. Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil
  18. Partido Avante
  19. Partido Comunista do Brasil (PCdoB)
  20. Partido Democracia Cristã (DC)
  21. Partido Democratas (DEM)
  22. Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB)
  23. Partido Solidariedade
  24. Partido Progressistas (PP)
  25. Partido Republicanos
  26. Partido Trabalhista Brasileiro (PTB)
  27. Politize!
  28. Safernet Brasil
  29. Sociedade Brasileira de Computação (SBC)
  30. Secretaria Executiva do Comitê Nacional do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral
  31. Agência Lupa
  32. Partido Social Cristão (PSC)
  33. Partido Podemos (Pode)
  34. Partido Democrático Trabalhista (PDT)
  35. Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República
  36. Instituto Não Aceito Corrupção

FONTE: TECHTUDO COM G1.COM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here