A presidente interina da Assembleia Legislativa de Mato Gross0-AL/MT, Janaina Riva (MDB) classificou como demagogia um projeto, de autoria do deputado Ulysses Moraes (DC), que prevê a reduçãoda Verba Indenizatória dos parlamentares em 50%. Janaina lembra que, pelas regras atuais, os deputados podem pedir ressarcimento entre R$ 0,00 e R$ 65 mil.

“Na minha opinião, esse projeto é totalmente inconstitucional. Ele tinha que partir da Mesa Diretora. Imagine se qualquer deputado puder alterar hoje como funciona a Assembleia, a bagunça que aquilo ali vai virar. É para isso que tem eleição de presidente”, disparou a parlamentar em entrevista à imprensa no encontro dos prefeitos mato-grossenses com o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Glademir Aroldi, nesta quinta (16).

Nesta linha, Janaína ressalta que nenhum deputado pode dizer como o outro vai trabalhar. Lembra que cada um dos deputados tem que ter autonomia para dizer quanto ele vai receber. “Hoje, os deputados podem decidir receber de zero até R$ 65 mil e, na minha opinião, tem deputado que recebe R$ 3 mil, R$ 4 mil, R$ 10 mil, e que não valia nem R$ 1 mil porque não produz para isso. E tem deputado que hoje é ressarcido com R$ 65 mil e tem uma produtividade, um trabalho qualificado, que é compatível com a sua VI”, disse.

Ulysses se elegeu com a bandeira de reduzir gastos de gabinete e vem recebendo valores abaixo daqueles solicitados pelos colegas. Em fevereiro, primeiro mês de mandato, o parlamentar foi reembolsado em R$ 3 mil. No mês seguinte, em março, a VI do parlamentar, ligado ao Movimento Brasil Livre (MBL), dobrou para cerca de R$ 6 mil.

Se não quer VI, meu amigo, abre mão da VI e faça o seu papel conforme está fazendo através das mídias”  Janaína Riva

“Então, acho que cada um dos deputados tinha que escolher aquilo que quer receber. Essa demagogia de deputado ficar criando lei para reduzir pela metade… Porquê reduzir pela metade se ele pode optar por receber nada? Isso, na minha opinião, é ficar jogando para a plateia. Já que não quer receber, opte por não receber nada. Pode receber zero reais. Agora, ficar fazendo prestação de contas de mentirinha que está recebendo esse valor, depois vai triplicando, vai aumentando, e jogando para as pessoas que não quer VI… Se não quer VI, meu amigo, abre mão da VI e faça o seu papel conforme está fazendo através das mídias. E isso lá na Assembleia hoje não é o que acontece”, declarou Janaina.

A proposta de Ulysses foi aprovada ontem (15) pela Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária da Casa (CFAEO). A emedebista afirmou que será apresentado um substitutivo integral para, novamente, permitir que cada um dos parlamentares escolha o valor a ser ressarcido em até R$ 65 mil.

Revela que há deputados que tinham se manifestado  favoráveis aos 50% porque sabiam que a proposta não iria passar. “Aí fica muito fácil. Vai no Plenário, joga para a plateia que quer só 50% e depois pede os seus R$ 65 mil. Aí não pode. Tem que optar e ter coragem para mostrar a cara e mostrar aquilo que ele recebe”, reclamou.

A presidente ressalta, inclusive que já avisou os colegas que não gosta de hipocrisia e aqueles que se manifestarem pela devolução vão ter que devolver de verdade. “Porque não adianta se posicionar e depois pedir o valor integral da VI. Ou eles honram com aquilo que falam, ou eles serão expostos, sim, pela Assembleia porque é um trabalho de defesa do Parlamento. E é esse nosso papel lá dentro”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here