O primeiro caso de meningite em 2019 na cidade de Juína, MT, foi confirmada pela coordenadora da vigilância em saúde, enfermeira Ágata Barbosa Losano. Em entrevista nesta manhã, a coordenadora falou sobre o caso e confirmou que se trata de uma menina de 8 anos.

Ágata disse que recebeu informações de que possivelmente havia uma criança com suspeita de meningite, diante da informação foi acionada a vigilância epidemiológica de saúde para fazer um exame laboratorial rápido, sendo constatou que a criança estava com a doença.

Segundo relatos da enfermeira Ágata Barbosa ainda não foi feito a soro tipagem, onde identificará qual o tipo de meningite se trata, os exames foram realizados em um laboratório da cidade de Juína e outro na capital Cuiabá, onde o resultado conclusivo está sendo aguardado.

Por ser uma criança com idade escolar a vigilância sanitária em saúde, equipe do escritório regional e um médico tomaram todas as medidas cabíveis previstas nos protocolos do ministério da saúde, tanto para orientação quimoprofilaxia com todos os contatos, onde agora deve tomar mais precauções e prevenção junto à população, ressaltou Ágata Barbosa, que alertou para a questão da vacinação, onde existe uma vacina específica (meningose), que é aplicada aos dois e aos 05 meses de idade, sendo reforçada aos doze meses de vida.

A coordenadora lembrou que a pouco tempo o ministério da saúde determinou um reforço para a faixa etária dos 11 aos 14 anos de idade, porém existem outras vacinas na rede pública que previne alguns tipos de meningite como a Pneumo 10, BCG, e a PENTA, que são ministrada em crianças de até 12 meses, não sendo necessário fazer um reforço, pois a criança já está imunizada, afirmou Ágata Barbosa.

Ágata falou das formas de contágio da doença, sendo a principal o contato físico entre as pessoas, porém algumas crianças portadoras de doenças como pneumonia e outras que fazem com que a imunidade fique baixa são as mais prováveis a contrair a doença, e é necessário nesses casos se prevenir, evitando ambientes com grandes aglomerações de pessoas, evitar ao máximo ambientes fechados, deixando todos os ambientes arejados e em caso de ter aparelho de ar condicionado, efetuar a limpeza do filtro de ar regularmente, fazer manutenção periodicamente principalmente em ambientes como salas de aula, e outros ambientes que costumeiramente ficam fechados.

 “É importante ressaltar que já fizemos orientações para todas as escolas da cidade de Juína e já encaminhamos nota técnica para os hospitais da cidade para que todos se mantém em alerta e não em alarme, e a população não precisa ficar tão alarmada, porém preocupada, temos que nos preocupar sim”- afirmou Ágata Barbosa .

A vigilância em saúde está trabalhando em relação à quimioprofilaxia que é dar o remédio para todas as pessoas consideradas contatos do portador da doença, sendo que também está sendo dada uma atenção aos contatos secundários onde as causas sintomas podem se manifestar em até 24 horas, podendo se manifestar por mais tempo, ou seja, 48 horas após o contato, entretanto são raros os casos de contato, podendo nunca acontecer, porém a vigilância está em alerta no caso de haver um possível contágio da doença.

Essas orientações repassadas pela enfermeira Ágata serve não somente para a Meningite como para as demais doenças transmitidas através do contágio, como o caso da gripe H1N1 e outras.

Referente o caso da criança de 08 anos que foi diagnosticada com a doença da meningite, foi realizada uma reunião na quarta-feira à noite com a equipe técnica da vigilância e também a equipe gestora da escola, onde foi passada orientações, sendo que na quinta-feira foi realizada uma reunião com os pais e alunos da sala em que a criança contagiada estuda, onde se adotou os procedimentos de quimio profilaxia em todas as crianças que estudam com a menina contagiada, pois tiveram contatos mais próximos em ambiente fechado prolongado por 04 horas.

A escola em que a criança estuda, suspendeu as aulas no dia de hoje a fim de fazer uma limpeza e desinfecção total em todas as salas e ar-condicionado.

Sinais e sintomas

Os sintomas da meningite sempre vêm acompanhados de dores fortes de cabeça, vômitos, febre alta tudo de início súbito, fotofobia (aversão a luz), falta de apetite e desinteresse total em todas as atividades e falta de apetite, no caso de apresentação desses sintomas a criança deve ser encaminhada com urgência a uma unidade de saúde para verificação e diagnóstico.

A criança portadora de meningite da cidade de Juína foi encaminhada a capital Cuiabá onde existe UTI pediátrica para um atendimento especializado, seu estado de saúde é delicado.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here