Publicada em 18/06/2017 às 22:49

Mais de R$ 239 mi são aprovados em projetos junto ao FCO em Mato Grosso; mais de 1,9 mil empregos devem ser gerados

Dezenove cartas-consultas para financiamento de projetos junto ao Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) Empresarial.

Mais de R$ 239 mi são aprovados em projetos junto ao FCO em Mato Grosso; mais de 1,9 mil empregos devem ser geradosDezenove cartas-consultas para financiamento de projetos junto ao Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) Empresarial, através do Banco do Brasil. Juntos, os projetos representam R$ 239,2 milhões a serem investidos em empreendimentos que devem gerar 1.971 empregos.
 
As cartas-consultas foram aprovadas durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Empresarial (Cedem) na última quarta-feira, 14 de junho, conforme a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

Os projetos, revela a Sedec, são de pequenas, médias e grandes empresas localizadas em Cuiabá, Várzea Grande, Sapezal, Colniza, Lucas do Rio Verde, Primavera do Leste, Pontes e Lacerda, Jaciara, Alto Taquari, Rondonópolis e Querência.
 
As cartas-consultas são de empreendimentos para diversas áreas de atuação, como transporte rodoviário, fabricação de rações, comércio atacadista e varejista.
 
Os recursos devem ser aplicados na aquisição de máquinas e equipamentos, veículos, e construção civil.
 
De acordo com a Sedec, a dispensa da exigência de carta-consulta na linha do FCO Empresarial para financiamento de capital de giro dissociado às micros e pequenas empresas, bem como o financiamento de capital de giro dissociado às médias e grandes empresas no FCO Empresarial, permanece válida para 2017. Tal linha tem como objetivo amparar gastos gerais relativos à administração do empreendimento, exceto a amortização e/ou liquidação de empréstimo e/ou financiamento no Sistema Financeiro Nacional.
 
Prodeic
 
Ainda conforme a Sedec, o Cedem aprovou a suspensão de três empresas no Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Prodeic) de Mato Grosso, que foram vistoriadas e comunicadas via Diário Oficial do Estado.
 
Além disso, outras duas empresas tiveram pedido de suspensão voluntária do Prodeic aprovado pelo Conselho. As empresas suspensas, podem solicitar o reenquadramento ao Prodeic, dentro de dois anos.
 
Também foi aprovada a reativação de uma empresa e a alteração da Razão Social de outras duas empresas.
 
Em termos de desenquadramento do Prodeic, o Conselho aprovou sete, sendo um à pedido da empresa.

Autor: olhardireto.com.br
Fonte: olhardireto.com.br