Publicada em 08/09/2015 às 13:06

Brigadistas e bombeiros retomam combate a incêndio em parque de MT

Incêndio no Parque Nacional de Chapada dos Guimarães iniciou no dia 1º. Instituto fará novo sobrevoo neste domingo para avaliar dimensão do fogo.

O grupo de 80 pessoas, formado por brigadistas e bombeiros, retomou na madrugada deste domingo (6) mais um dia de combate ao incêndio que atinge o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela administração do parque, o fogo é criminoso e começou na última terça-feira (1º).

Fogo atinge Parque Nacional de Chapada dos Guimarães (MT) desde o dia 1º de setembro (Foto: Luiz Gustavo Gonçalves/ICMBio)

Quem passa pela Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães, já não consegue visualizar os paredões por conta da fumaça que encobre a região. Segundo o último boletim informativo divulgado pelo instituto, o fogo teve uma significativa perda de força entre sexta-feira (4) e este sábado (5).

 

A equipe do ICMBio deve fazer um novo sobrevoo neste domingo para avaliar a situação do incêndio. (Veja abaixo o vídeo do incêndio neste sábado. As imagens foram divulgadas pelo ICMBio).

 
 

“Havia uma linha de mais de 5 quilômetros de fogo ontem e hoje ela já diminuiu bastante. Conseguimos evitar que o fogo permanecesse no planalto, de onde poderia se espalhar rapidamente por áreas prioritárias de conservação do Parque”, disse o coordenador de campo do ICMBio, Luiz Gustavo Gonçalves.

 

Os principais atrativos de visitação do parque não foram atingidos até o momento. Entre eles, o Véu de Noiva, o Circuito de Cachoeiras e o Morro São Jerônimo. Esses três locais foram fechados para visitação na quinta-feira (3) e não há uma data prevista para a reabertura.

 

 

O fechamento temporário foi necessário porque o estacionamento do Véu de Noiva está sendo usado para pousos e decolagens dos helicópteros. A sede administrativa é base para acampamento das equipes externas, além de abrigar toda a logística dos brigadistas.

 

O grupo é composto por 40 pessoas do ICMBio, 26 brigadistas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), 20 militares do Corpo de Bombeiros, além de um helicópteros e aeronaves do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

 

Brigadistas continuam tentando apagar incêndio no Parque de Chapada dos Guimarães (MT) (Foto: Luiz Gustavo Gonçalves/ICMBio)
Brigadistas continuam tentando apagar incêndio no Parque de Chapada dos Guimarães; foto feita neste sábado (5) mostra dimensão da queimada (Foto: Luiz Gustavo Gonçalves/ICMBio)
 

As aeronaves dão apoio logístico, como entrega de comida e água para os brigadistas. O reforço também é feito por aviões do Batalhão de Emergências Ambientais (BEA) do Corpo de Bombeiros despejam cargas de água para tentar controlar o fogo.

 

O combate é feito entre as quatro da manhã às dez horas da noite. Conforme o instituto, o combate noturno tem sido efetivo, pois a temperatura ambiente é menor e a umidade relativa do ar maior. A maior dificuldade encontrada pelas equipes de campo tem sido as grandes distâncias a serem percorridas a pé no relevo montanhoso.

Autor: G1/MT
Fonte: G1/MT